MOÇÃO DE APOIO A ESTUDANTES E PROFESSOR DA UFMS

[versão em pdf]

NENHUM PASSO ATRÁS!

Tomando conhecimento da realidade sul-mato-grossense, da rotina de perseguições e crimes políticos imposta à população urbana e rural que se revelam em todos os âmbitos; do exponencial sucateamento da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e das enérgicas tentativas de silenciamento do setor da comunidade acadêmica que se levanta; da omissão criminosa da intelectualidade e imprensa burguesas do Mato Grosso do Sul (MS). E, entendendo que o estudantado é fração da classe trabalhadora e deve se aliançar com as demais frações desta classe; que no interior das universidades dá-se, também, a luta classista e a disputa ideológica:

Declaramos nosso apoio ao professor da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – Campus Paranaíba (UFMS-CPAR), Nilson Berenchtein Netto, vítima de agressão física e moral por parte do prefeito de Paranaíba, Diogo Tita (PPS), em 31 de agosto de 2013. Netto foi agredido por firmar sua critica à precarização das condições de trabalho e estudo naquela universidade, bem como apontar a ingerência politica praticada em favor do agronegócio, que se traduz na mercantilização da educação pública e na instrumentalização da universidade de acordo com interesses econômicos alheios aos da classe trabalhadora.

Também vimos por esta solicitar e declarar apoio aos estudantes perseguidos e sujeitos a punições dos campus de Corumba (CPan) e de Campo Grande da UFMS em virtude das manifestações contrárias à reitoria, sua politica educacional e gestão orçamentária, em setembro deste ano corrente. Os estudantes reivindicam o imediato afastamento da atual reitora, Célia Maria Corrêa, investigada na Operação “Sangue Frio” e por ligações com a máfia do Hospital do Câncer da capital sul-mato-grossense, além do acúmulo de inumeráveis inquéritos/processos no Ministério Publico Federal (MPF) nos quais é citada ou apontada. Responsável pela implementação de um ultrajante programa que transforma estudantes em mão-de-obra precarizada, dito de “assistência estudantil”, Célia Maria é reconhecida pela recusa em dialogar com o movimento estudantil e tratar o restante da comunidade acadêmica de forma desrespeitosa e esquiva.

Em Campo Grande, estudantes estão sujeitos a penalização, via procedimentos administrativos e judiciais, em razão da justa ocupação do prédio da reitoria da UFMS, contra a incipiente politica de assistência estudantil e em favor da universalização do ensino público. Ainda, alguns estudantes temem que suas bolsas sejam cortadas como forma de chantagem política e punição velada. Após a execução de ordem de reintegração de posse, sem que quaisquer demandas fossem atendidas, os estudantes lançaram-se a nova tentativa de ocupação. Como resposta, a reitoria direciona o orçamento da instituição – alegadamente parco – para ampliar o contingente de seguranças terceirizados e para erguer duplo cercamento ao redor do prédio.

No Campus Pantanal, município de Corumbá, os componentes do Diretório Setorial dos Estudantes (DSE-CPan) foram submetidos a uma sindicância para prestarem “esclarecimentos” relativos às inscrições nos muros da instituição de conteúdo favorável à ocupação da reitoria (“Estudantes em Luta”, “Fora Célia”, etc.). Ainda, sofrem detração e perseguição por parte de estudantes reacionários daquele campus.

Nossa solidariedade e fraternidade classista aos que ousam lutar. Venceremos!

Rio de Janeiro, 17 de novembro de 2013

Plenária Final do I ENOPES

SAUDAÇÕES AO ENOPES DA OPOSIÇÃO CCI AO DCE DA UFRRJ

A Oposição Classista, Combativa e Independente ao DCE-UFRRJ (OCCI) vêm saudar e parabenizar todos os coletivos presentes ao Encontro Nacional de Oposições Populares, Estudantis e Sindicais [ENOPES] pela construção de um amplo espaço de debate e de uma linha de atuação que saia dos parâmetros de luta instituídos pelo governismo e pelo oportunismo eleitoral.

A conjuntura de Lutas que eclodiu em junho de 2013 mostrou que só a organização e mobilização pela base, rompendo com a burocracia sindical e estudantil, e tendo como perspectiva a ação direta das massas é capaz de modificar a realidade da classe trabalhadora e resistir aos ataques dos setores governistas e para-governistas que durante o ano se mostraram verdadeiros inimigos do povo.

A OCCI com apenas dois meses e construída no calor das lutas de junho enxergou o ENOPES como um excelente espaço de debate e troca de experiência com militantes colegas de toda a parte do Brasil e faz a defesa da construção de uma Tendência Classista e Internacionalista se comprometendo a construir localmente a política deliberada no encontro. Também defendemos que a RECC é a alternativa classista na qual visualizamos a possibilidade de construção de um movimento estudantil através da base, rompendo com o imobilismo e com o oportunismo por parte de coletivos pelegos, que só visam aparelhar o movimento.

Que em 2014 a luta se intensifique e que todos os setores da classe trabalhadora se levantem organizados contra os ataques do Governo e do Capital!


É BARRICADA, GREVE GERAL, AÇÃO DIRETA QUE DERRUBA O CAPITAL!
NÃO VAI TER COPA!
ROMPER OS MUROS DA UNIVERSIDADE! SERVIR AO POVO DO CAMPO E DA CIDADE!
AVANTE REDE ESTUDANTIL CLASSISTA E COMBATIVA!